Jovens universitários acreditam que podem fazer uma nova política

Da Redação
10/11/2020 17:11:39
Jovens universitários acreditam que podem fazer uma nova política

Defendem um Legislativo harmônico e fiscalizatório

Rafa Breda, estudante de Administração, e Juninho Lalupe, cursando Direito, resumem como pretendem atuar no Legislativo, caso eleitos

Nesta segunda rodada de entrevistas com candidatos à Câmara Municipal de Paulínia (CMP), nas eleições municipais deste ano, o Correio traz o estreante na disputa Rafael Breda, o Rafa Breda (PL), e Ademar Pedroso dos Santos Junior, o Juninho Lalupe (Solidariedade), que concorre ao cargo pela segunda vez. 



Breda, 25 anos, nasceu em Paulínia, no dia 15 de junho de 1995,  filho de Renato e Viviane Breda. Tem dois irmãos (Felipe e Sofia), é solteiro, empresário, mora no Jardim Europa, e cursa o último ano de Administração, na UNIFACP (Centro Universitário de Paulínia). Segundo ele, quando decidiu concorrer ao Legislativo, a primeira coisa que fez “foi estudar as funções do cargo e a legislação eleitoral”. Defende que as bases governista e de oposição atuem com "isonomia no processo legislativo", sem conchavos que prejudiquem a população.



Lalupe, 34 anos, nasceu no dia 3 de dezembro de 1985, em Padre Paraíso, Minas Gerais, mas mora em Paulínia desde o quarto ano de vida. É filho de Ademar Pedroso dos Santos e Lucimar Almeida de Oliveira, solteiro, tem cinco irmãos, e um filho de 18 anos. Mora no Parque Jequitibá II, trabalha como auxiliar administrativo, e está no oitavo semestre do curso de Direito da UNIFACP. “Meu propósito é mostrar para a população desacreditada que podemos, sim, ter pessoas comprometidas com a cidade no meio político”, diz ele. 

Correio Paulinense - Na sua opinião, por que os mais novos não se interessam tanto por política?

Rafa Breda - O desgaste que nossas instituições sofreram nos últimos anos fez com que muitos se decepcionassem de tal forma que os jovens não anseiam participar da política. Infelizmente, não conseguimos ainda passar a mensagem de que é justamente através do voto que mudaremos este cenário. Além disso, especificamente neste ano, o calendário de atendimento do sistema de biometria e a pandemia contribuíram para que muitos optassem por não tirar o título de eleitor. 

Juninho Lalupe - Acredito que a falta de interesse dos jovens pela política seja em razão da cultura familiar, tendo em vista que muitas vezes esse assunto não é conversado com a devida seriedade, sendo negligenciado por uma grande parte da população. 

Correio Paulinense -  É a primeira vez que disputa uma vaga no Poder Legislativo, e por que decidiu concorrer?

Rafa Breda - Venho há uns quatro anos já trabalhando ativamente na política da cidade, apoiando outros candidatos. Para estas eleições estávamos com um bom grupo trabalhando há um ano para outro candidato, no entanto ele resolveu nos trair. Foi então que percebi que se quero fazer algo efetivo e longe deste tipo de atitude, tenho eu mesmo que fazer isso acontecer. Decidi trabalhar por mim, porque sei que posso e vou realizar um ótimo mandato. 

Juninho Lalupe - Concorri nas eleições de 2016, e o meu propósito é mostrar para a população desacreditada  que podemos, sim, ter pessoas comprometidas com a cidade no meio político. 

Correio Paulinense -  Como você se preparou, ou está se preparando, para assumir uma vaga na Câmara, caso seja eleito?

Rafa Breda - A primeira coisa que fiz foi estudar as funções do cargo e a legislação eleitoral. Minha preocupação era construir uma campanha limpa. Com isso percebi que estudo e pesquisa são fundamentais para realização de um bom trabalho. Tive que estudar mais sobre a cidade, sobre cada área, para construir meu projeto para a Câmara. A faculdade de administração tem sido fundamental neste processo, me dando uma boa base que não deixarei de ampliar. 

Juninho Lalupe - Posso dizer que estou me preparando há anos na prática, obtendo experiência, primeiramente pelo tempo de serviços prestados diretamente à população, entendendo suas necessidades e anseios, e por último, com relação aos cargos públicos nos quais já trabalhei.

Correio Paulinense -  Na sua visão, qual o pior e o melhor lado da política?

Rafa Breda - A política dá poder de escolha ao povo. Através da política escolhemos quem nos representará e como queremos que a sociedade funcione, quais os princípios e valores queremos perpetuar.  Mas ela é constantemente utilizada pelos que gostam de levar vantagem, enganando e roubando de todos. O poder de fazer o bem é muitas vezes esquecido, sobrando apenas a ganância pelo poder. 

Juninho Lalupe - O melhor lado é a utilidade do serviço público prestado à população e os benefícios que ela traz, se encaminhada da maneira correta. A política tem como propósito servir, ser útil ao povo. Já o lado pior da política acontece quando os representantes não fazem jus à confiança que lhes foi dada, o que, infelizmente, acaba tornando a população desacreditada. 

Correio Paulinense -  Caso eleito, como você pretende se relacionar com o Poder Executivo, independente de quem seja escolhido pela maioria da população para governar a cidade nos próximos quatro anos?

Rafa Breda - Cabe a um vereador fiscalizar o Poder Executivo. É uma das funções principais e que dá garantias à população de que o dinheiro público será utilizado da maneira correta, assim como de que a Prefeitura cumprirá suas obrigações. Isso independe de partido e alianças. Além disso, considero necessário o diálogo com a finalidade de realizar projetos que, caso eleito, eu possa apresentar para resolver problemas levantados pela população. 

Juninho Lalupe - Pretendo ter um relacionamento amigável, para que juntos possamos atender aos anseios e necessidades da população paulinense, mas sem deixar de lado a obrigação de um vereador: a de fiscalizar o Executivo. 

Correio Paulinense - No seu entendimento, como as bases governista e de oposição devem atuar na Câmara?

Rafa Breda - Essencialmente, as bases podem garantir a isonomia do processo legislativo, de forma a evitarem complôs e conchavos políticos que prejudicam a população em favor de seus interesses. Quantos casos de projetos de lei relegados porque a oposição queria prejudicar o executivo já não vimos? Isso não pode acontecer, a cidade é quem perde. Os dois lados devem colocar o interesse público em primeiro lugar e trabalhar para isto. 

Juninho Lalupe - A oposição deve atuar de forma produtiva, fazendo críticas construtivas e, ao mesmo tempo, apresentando soluções, não fazendo apenas reclamações vazias. A base governista deve atuar de forma transparente, com eficiência e buscando sempre melhorar em cima das críticas que, de fato, sejam construtivas. 

Correio Paulinense - Que bandeiras você pretende defender no Legislativo, caso eleito?

Rafa Breda - A causa animal surgiu durante a definição das minhas propostas e tomou muita força, juntamente com toda a área de meio ambiente. O esporte e o lazer também, pois percebi a carência que temos de opções gratuitas, mesmo com boas estruturas pela cidade. Tenho conversado muito com os idosos e decidi que vou abraçar esta bandeira, porque há muito que se pode fazer de forma rápida e eficaz para melhorar a qualidade de vida deles. 

Juninho Lalupe - Caso eleito, pretendo defender as bandeiras do social e da causa animal.

Correio Paulinense -  Qual a maior dificuldade que tem encontrado para convencer o eleitor a votar em você?

Rafa Breda - A minha idade é um ponto. Gera o questionamento do porque alguém tão novo quer entrar para a política e se tem experiência e maturidade para isto. Mas, como disse antes, eu cresci na política. A maturidade é algo que conquistamos com os anos, sim, mas também com nossa história, mesmo muito novo a minha história me trouxe até aqui e estou preparado para isso. 

Juninho Lalupe - Dificuldade em convencer o eleitor a votar em mim, não tenho nenhuma. A minha maior dificuldade está sendo em convencer o eleitor a ir às urnas, a votar de fato, a utilizar essa tão importante ferramenta democrática. 

Correio Paulinense - Que Paulínia você sonha e quer para os próximos anos?

Rafa Breda - Quero uma cidade que realmente reverta seus recursos em favor de seu povo. Que tenhamos educação, saúde e segurança. Que tenhamos cuidado com os nossos. Uma cidade em que se possa ter um dia a dia calmo e prazeroso, com qualidade de vida para todos. Que nos livremos de vez dessa política mal feita que tanto depenou nossos recursos. Parece muito, mas é o mínimo. 

Juninho Lalupe - Sonho com uma Paulínia mais humana, com menos interesses próprios políticos,  seja do grupo A ou B. Que nossos representantes trabalhem em prol do bem maior, da nossa população. Que se preocupem de fato com a qualidade de vida do povo paulinense.

CLIQUE AQUI e leia a primeira entrevista: Matheus Navarro e Brenda Regina

Fotos: Divulgação

Comentar