Matheus, 19 anos, e Brenda, 21 anos: a nova geração quer um lugar na política

Da Redação
09/11/2020 19:11:15
Matheus, 19 anos, e Brenda, 21 anos: a nova geração quer um lugar na política

Eles sinalizam que querem fazer história na cena política

Na nova série do Correio, jovens candidatos à Câmara de Paulínia abrem seus pensamentos políticos e o que pretendem fazer, caso sejam eleitos

O Correio está realizando uma série de entrevistas com jovens candidatos à Câmara Municipal de Paulínia (CMP), nas eleições deste ano, que serão publicadas a partir de hoje (9).  A mulher mais jovem na disputa, Ingrid Iris, de 20 anos, do REDE Sustentabilidade, foi convidada à participar, mas a assessoria de imprensa do partido informou que ela decidiu não conceder a entrevista. Assim, entrevistamos a segunda candidata mais jovem, Brenda Regina, de 21 anos, filiada ao DEM. Conversamos também com o emedebista Matheus Navarro, de 19 anos, o mais novo entre todos os atuais concorrentes ao Legislativo. 



Técnico de administração e estudante de engenharia de controle e automação, na PUC Campinas, Matheus Navarro Fachini, filho de Mauricio Fachini e Flavia Tatiani Navarro Fachini, nasceu em Campinas, no dia 16 de agosto de 2001, mas mora em Paulínia desde o primeiro dia de vida. É primo dos ex-vereadores Aparecido e Jurandir Navarro (pai e filho), e bisneto de Vicente Navarro (irmão de Aparecido Navarro, ambos já falecidos), que também ocupou uma cadeira no Legislativo Paulinense, entre os anos de 1977 e 1992. Solteiro, atualmente morando no bairro Recanto Feliz, ele defende que “os bons princípios e a ética devem estar sempre à frente”, e pretende tornar-se referência política para outros jovens, caso eleito.



Brenda Regina dos Reis Silva, nasceu em Paulínia, no dia 15 de junho de 1999, filha de Pedro Elias da Silva e Maria Lúcia dos Reis, tem um irmão, foi criada e mora até hoje no Parque Jequitibá II. Estudante de Comércio e Exterior, na PUC Campinas, ela é solteira e mãe de um menino de apenas sete meses. Para Brenda, mesmo em um país ainda “absurdamente machista”, as brasileiras conquistaram bastante espaço. “Mas ainda não é tudo, ainda é pouco”, ressalta. Segundo a candidata, os Poderes Executivo e Legislativo devem dialogar com maturidade e profissionalismo, caso contrário não haverá um bom governo. Além disso, frisa que a prioridade deve ser sempre o bem-estar da população. Confira as entrevistas. 

Correio Paulinense - Entre os 79.885 eleitores paulinenses aptos ao voto, apenas 430 têm idades entre 16 e 17, e 3.784 entre 18 e 20 anos. Na sua opinião, por que os mais novos não se interessam tanto por política?

Brenda Regina - Acredito que não só os jovens, mas uma boa parte da população ainda não se deu conta da importância da política, das eleições, e principalmente do voto.

Matheus Navarro - Na minha opinião, os jovens não se interessam porque não existe nenhum programa voltado para incentivá-los a ingressar na política.

Correio Paulinense -  É a primeira vez que disputa uma vaga no Poder Legislativo, e por que decidiu concorrer?

Brenda Regina - Sim, a primeira vez. Decidi me candidatar porque, mais do que ficar reclamando atrás de um celular, o que é fácil, eu quero agir, ter uma parcela de ajuda na mudança do município.

Matheus Navarro - Sim. Entrei na disputa para fazer parte da renovação do Legislativo. Os jovens de Paulínia precisam de um representante com voz ativa na política. Temos que ter exemplos no Legislativo que incentivem os jovens a ingressar no meio político, pois desta forma, vamos mudar a política em nosso município.

Correio Paulinense - Como você se preparou, ou está se preparando, para assumir uma vaga na Câmara, caso eleito(a)?

Brenda Regina - Acredito que um bom vereador dá voz à população. Ou seja, estou ouvindo cada cidadão, conhecendo a necessidade de mudança de cada bairro, observando os lugares, e assim, se eleita for, saberei os projetos que devo apresentar para atender as necessidades de cada localidade. 

Matheus NavarroEstou preparado para assumir uma vaga na Câmara Municipal. Tenho referência (política) em minha família, na qual posso me espelhar. A política é um aprendizado diário, sendo que os bons princípios e a ética devem estar sempre à frente. A cada dia, aprendo e estudo mais. A política é um ramo que precisa sempre de renovação.

Correio Paulinense - Na sua visão, qual o pior e o melhor lado da política?

Brenda Regina - O pior lado é uma campanha suja e cheia de fake news, o que pode comprometer até candidatos que fazem uma campanha limpa e honesta. E o melhor lado, é o direito do cidadão de escolher alguém para representá-lo na Câmara Municipal, é o poder do povo em ação. Por isso, devemos procurar saber a fundo sobre cada candidato.

Matheus Navarro - O melhor lado é poder ajudar o próximo, representar o povo, e ter métodos de servir à população. O pior, para mim, é quando a rivalidade entre partidos e pessoas fica acima da finalidade maior: o bem comum. 

Correio Paulinense - Caso eleito(a), como pretende se relacionar com o Poder Executivo, independente de quem seja escolhido, pela maioria da população, para governar a cidade nos próximos quatro anos?

Brenda Regina - Se não houver um diálogo profissional e maduro, com toda certeza não haverá um bom governo. A prioridade é o bem-estar da população.

Matheus Navarro - Com transparência, ética e comunicação. Precisamos agir com responsabilidade, visando sempre a honestidade com a população. Os projetos de leis que visam o crescimento da cidade e o bem-estar da população devem ser aprovados de forma unânime, sem rivalidades ou troca de favores. Devemos sempre buscar atender a população.

Correio Paulinense - No seu entendimento, como as bases governista e de oposição devem atuar na Câmara?

Brenda Regina - Devem atuar de forma honesta e rígida. Ou seja, cumprindo de forma clara os seus deveres, independente de qualquer coisa, pois, além de imprescindíveis, fazem parte de um todo.

Matheus Navarro A oposição e a base governista devem legislar para o povo, e não para o seu partido. Seremos representantes do povo, e de quem nos elegeu.

Correio Paulinense - Que bandeiras você pretende defender no Legislativo, caso eleito(a)?

Brenda Regina - Vou priorizar a questão de empregos para os moradores da cidade; projetos para ajudar mulheres vítimas de violência doméstica; projetos para melhorar a infraestrutura dos bairros; projetos para ocupar o tempo dos jovens; projetos para usar da melhor forma alas vazias no HMP; e, na segurança, propor treinamento para a Guarda Civil Municipal, buscando melhor atendimento à população.

Matheus Navarro Acredito que a educação é a base de tudo, e que os jovens são o futuro. Então, a bandeira da educação certamente vou defender no Legislativo, caso for eleito.

Correio Paulinense - Qual a maior dificuldade que tem encontrado para convencer o eleitor a votar em você?

Brenda Regina - Como os eleitores não acreditam mais em políticos, a maior dificuldade é convencê-los  que nem todos são iguais. Peço sempre uma chance de provar que sou diferente. Sou jovem, da periferia, e sinto na pele o que muitos também sentem. Me candidatei para ser uma vereadora presente e real, para dar voz ao povo, pois esse é o dever de um vereador, representatividade!!!

Matheus Navarro - A classe política está desacreditada neste país. O povo já está cansando de ser enganado por políticos que não governam, ficam discutindo seus interesses e, por isso, nos deparamos com muitas pessoas desmotivadas, quando o assunto é política. 

Correio Paulinense - Que Paulínia você sonha e quer para os próximos anos?

Brenda Regina - Uma Paulínia que volte a sorrir, com recreação, empregos, cidadão feliz e, principalmente, sem corrupção.

Matheus Navarro - Uma Paulínia justa e que atenda os interesses de seu povo. Paulínia tem a segunda maior arrecadação do Estado de São Paulo, e a maior renda per capita do Brasil. Paulínia não pode ter problemas de falta de moradia, segurança, limpeza, saúde, educação, etc, com uma renda dessas. A cidade tem que ser referência no Brasil, nos próximos anos.

Fotos: Divulgação

Comentar